Aresto Momentum

Volta às Aulas! Bem-Vindo, Convidado!
 
InícioPortalCalendárioMembrosRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Bar

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2
AutorMensagem
Jon Laurousen
Jogadores de Quadribol
Jogadores de Quadribol
avatar

Trabalho : Jogador de Quadribol
Mensagens : 132

MensagemAssunto: Re: Bar   Dom Fev 10, 2013 2:20 pm

Acabo entrando em uma aposta sem falar nada. Nunca torci para Bella pegar ninguém, mas já estava torcendo. Então recebo uma mensagem.
Falando nela...
Ela nunca me mandava mensagens. Quase nunca. Achei estranho, mas li mesmo assim, em voz alta.
Dominique demaiada. No Chalé. Vem rápido.
Demorei uns segundos para falar de novo.
Não pode ser sério... Mas ela não brincaria com isso, eu acho...
Digo mais para mim mesmo. Não. Era sério. Se não fosse ela ia ter que me ouvir.
Vou pra lá. Vocês vem?
Não ouvi o que eles responderam, fiquei preocupado em ser verdade mesmo e Domi estar muito mal. Desaparatei rápido.

Continua http://arestomomentum.forumaqui.com/t83-topo-do-morro-e-tumulo-de-dobby



| Bar | Com Teddy e Tiago |

*************************
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Teddy Remo Lupin
Ministro da Magia
Ministro da Magia
avatar

Localização : Ministério
Trabalho : Ministro da Magia
Mensagens : 125

MensagemAssunto: Re: Bar   Dom Fev 10, 2013 2:45 pm

Já imaginava que Tiago iria aceitar a aposta, mas ele pensou por um bom tempo e só depois aceitou. Então Jon recebe uma mensagem, que diz ser de Isabella e lê:
-Dominique demaiada. No Chalé. Vem rápido.
Parece que ele fica meio em dúvida se a mensagem é verdadeira ou não, mas acho que acaba decindindo que é, porque pergunta se nós vamos e some dali, desaparatando.
Viro para Tiago.
Mano, Dominique é meio nossa prima... Acho que a gente tem que ir...
Eu queria tanto quanto ele parar de beber naquele momento, mas se fosse sério mesmo e nós não fossemos, podia dar algum problema futuro.
Vamos lá.
Coloco no blacão uma boa quantia de dinheiro para pagar tudo que Jon, Tiago e eu tinhamos bebido, afinal eu tinha convidado eles para ir ali, para contar sobre o casamento, e Tiago e eu desaparatamos, levando os copos que estávamos tomando, direto para o Chalé das Conchas.

Continua: http://arestomomentum.forumaqui.com/t83-topo-do-morro-e-tumulo-de-dobby
Tagged: Tiago; Notes: Noite de sexta - bebedeira clássica; Credits: Jeess @ etvdf

*************************

Teddy Remo Lupin - Ministro da Magia
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Stevie Oloked
Monitor-chefe da Corvinal
Monitor-chefe da Corvinal
avatar

Localização : Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts...
Trabalho : Estudar...
Mensagens : 122

MensagemAssunto: Re: Bar   Ter Dez 16, 2014 7:50 am

Don't Stop the Party
From TPO

Era, no mínimo, estranho, encontrar meu pai em uma bar. Isso se ele aparecer. Mas nós não podemos entrar na Central porque não somos Comensais da Morte; eu até poderia dar um jeito, mas não com o Weasley aqui.
Usei minha falsa identidade para entrar aqui, só que o mauricinho não tinha uma, então teve que usar magia no guarda. Eu até poderia flertar com o segurança, mas ele não vale tudo isso.  
Sentamos em uma mesa afastada de tudo, num lugar discreto. O garçom nos traz bebida pouco tempo depois que eu pedi, um dos motivos que escolhi esse lugar. Isso e que a Central é bem perto daqui.
Agora é só esperar e torcer para que ele apareça.
Tomo um gole da minha bebida e acrescento:
Assim que ele entrar, não há mais volta. Por que você quer fazer isso, afinal?
Estava curiosa para saber por que o filho do famosinho Weasley queria se tornar parte de um grupo que causou grande sofrimento para a família dele tempos atrás.


*************************
Don't Stop the Party

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hugo Weasley
Monitores
Monitores
avatar

Localização : Hogwarts quase sempre...
Trabalho : Estudante/Monitor
Mensagens : 128

MensagemAssunto: Re: Bar   Sex Dez 19, 2014 2:45 pm

Stevie nos leva para um bar, nada estranho eu aqui com a filha da Chefe dos Aurores. Bem normal também nós termos acabado de queimar uma casa, a casa dela, cheia de pessoas dentro. Inclusive garotas gostosas. Agora tudo isso teria que parecer normal para mim, então era melhor ir me acostumando. Penso em Rose, ela me mataria se soubesse o que fiz. Que matei pessoas. Normal. Agora é normal.
A Oloked pede bebidas para nós e comenta que talvez ele não apareça. Um encontro com o Lord das Trevas? Normal. A gente sempre bate um papo legal nos fins de semana. Se ele não aparecer, tudo vai por água abaixo. Espero que a Central dos Comensais, sobre o que sempre ouvi meus pais conversando, tenha quartos ou algo assim. Porque realmente não está nos meus planos dormir na rua. Se bem que, dormir na rua, com a Oloked, não ia ser nada mau.
Tomo um gole da minha bebida, algo forte, a mesma coisa que Stevie estava tomando. Garota dura na queda. Ela me pergunta porque quero fazer isso, diz que assim que o Lord entrar, não tem volta. Como se eu não soubesse. Pra mim, já não tem mais volta.
Cansado da vida normal.
Respondo simplesmente, mas claro que os motivos são bem mais complexos.

*************************
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Dimitri Belikov
Lord das Trevas
Lord das Trevas
avatar

Localização : Nova York | Central dos Comensais
Trabalho : Lord das Trevas
Mensagens : 124

MensagemAssunto: Re: Bar   Qua Jan 21, 2015 7:59 pm

Amar é Destruir


Eu nunca perderia meu tempo com dois adolescentes idiotas que estão passando por uma fase e querem entrar em algo da pesada só para se exibir para seus estúpidos amigos. Mas seria muito irônico ter um Weasley entre os Comensais, e a garota pode ser útil. Afinal, ela tem meus genes. Se ela for ao menos um pouco parecida comigo, já deve prestar um pouco.
Entro no bar, perto da Central dos Comensais. Os dois estão em uma mesa dos fundos, bebendo. Não ligo para isso, a vida é deles, eles que façam o que quiser, desde que não entrem em meu caminho. Sento na última cadeira vaga ao redor da mesa deles e vem um garçom. Peço um uísque, ele pede minha identidade. Calmamente, viro meu rosto e encaro-o. Não demora muito, ele sai fazendo uma referência. Em um minuto, volta com a bebida, dizendo que é por conta da casa.
Passo a encarar Hugo Weasley, e depois paro em Stevie Oloked, esperando que ela diga alguma coisa. A minha suposta filha me conta sobre a casa pegando fogo, a casa da mãe dela. Sei que Lissa vai ficar puta por causa do incêndio, e isso é... agradável.
Pelo menos já é alguma coisa.
A garota passa a me encarar, como se achasse que o que eles fizeram foi mais do que alguma coisa.
O que? Se vocês acharam que queimar uma casa com algumas pessoas dentro é digno de entrar para os Comensais da Morte, vocês são mais estúpidos do que pensei. Estão em estado de provação. Não receberão a marca. Precisam merecer, ou seja, me surpreender.  
Tomo um gole do uísque.
Não deixarei entrar dois adolescentes só porque estão revoltados com a vida. Isso não é igual eral há vinte anos atrás. Não preciso de pesos-mortos me incomodando.




Thanks Nanda from TPO


*************************
Lord Dimitri Belikov

☠️ Lord das Trevas ☠️ 25 anos ☠️

credits @
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Hugo Weasley
Monitores
Monitores
avatar

Localização : Hogwarts quase sempre...
Trabalho : Estudante/Monitor
Mensagens : 128

MensagemAssunto: Re: Bar   Seg Jan 26, 2015 11:32 am

O Lord das Trevas chega um pouco depois, para a minha surpresa. Achei mesmo que ele não viria. Pede uma bebida, me encara por um momento e depois vira para Stevie, como se só ela realmente importasse ali. Bom, meu sobrenome não ajuda muito nessa questão. Percebo uma certa tensão entre os dois enquanto Oloked lhe explica o que fizemos, mas talvez fosse só minha imaginação. Penso em dizer que a ideia da casa ser queimada foi toda minha, mas me seguro, até porque ele diz que é bom, mas não o suficiente, ainda precisamos fazer mais. Precisamos surpreende-lo.
Sei que já é mais do que tarde de mais, mas penso em desistir. Então olho para Stevie, toda decidida ali, e percebo o óbviu: ela é minha chance. Podemos entrar nessa juntos, como amigos, e quem sabe saimos juntos, como algo mais que amigos. Aposto que, se eu arrumar uma namorada, minha mãe vai parar de me encher o saco. E talvez me aceite de vola. Ah, verdade. Ainda tem aquela questão "onde dormir essa noite". O Lord diz que não precisa de dois adolescentes revoltados, acho que ele pensa que deve estar nos fazendo um favor. Pois é, talvez.
Hm... E o que seria exatamente uma surpresa? Uma morte meio... especial?
Estava tendo uma ideia... Pessoas, na verdade. Pessoas que seriam as vítimas perfeitas. Uma cena perfeita. Tinha que falar com Stevie.
Ok, deixa com a gente. Nos dê uma semana, tudo bem?
Então peguei o celular e digitei um nota. Depois passei por baixo da mesa o celular para Stevie.
"Tive uma ideia. Vamos dormir onde? Estou louco pra passar a noite com você."

*************************
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Alice Jessie Oloked
Adulto
Adulto
avatar

Trabalho : Indefinido
Mensagens : 134

MensagemAssunto: Re: Bar   Seg Fev 02, 2015 1:29 pm



O bebê nasceu prematuro.
Assim que saí para o mundo, passei por muito mais coisas do que gostaria. Dormi na rua, fui roubada, perdi todo o dinheiro que tinha, procurei trabalho em qualquer lugar e o único que eu consegui foi como entregadora de panfletos. Ficava embaixo do sol forte, todos os dias da semana, e, de noite, voltava para um canto em uma rua específica, engolia alguns remédios e dormia. Então acordava, lutava contra a sonolência e a depressão e ia trabalhar. Todo dia fazendo a mesma coisa, até que naquele dia foi diferente. Eu desmaiei, fui levada ao hospital e, a próxima coisa que me lembro, é de estar com a criança no colo. Era um menino, chamei-o de Josh, era lindo, e ele mudou tudo. Me abriu os olhos para o que estava acontecendo, para tudo o que eu tinha feito até chegar ali. Lembro que quis pegá-lo e ir acertar tudo com minha família e, principalmente, com ele. Mas então, quando recebi alta do hospital e me deram um caderninho com os dados da criança, percebi que não poderia. Foi o tipo sanguíneo do bebê que me fez perceber tudo: ele não era filho dele. Sabia exatamente o tipo sanguíneo do meu ex-namorado, devido a uma entrevista no Profeta Diário, feita muito tempo atrás. Nós dois éramos O+ e o bebê em meus braços era A+. Lembro de ter ficado sem reação por um momento, e então ter acordado de um transe, que me consumia a muito tempo. Nada voltaria a ser a mesma coisa.
Consegui um emprego no dia seguinte, em um bar muito bem frequentado, não só por Trouxas. Parece que estavam sem garçonete, e aceitei a função na hora. Eu morava junto com o dono do bar e sua esposa, em cima do estabelecimento, e só precisava pagar um pouco para ficar ali. Pagava pelo turno que eu não fazia, ou seja, se eu trabalhasse manhã, tarde e noite, não precisaria pagar o quarto onde dormiria. Tentei fazer todos os turnos na primeira semana, já que estava sem dinheiro. A mulher do dono, Dara, cuidava de Josh para mim e, se estivesse com pouco movimento, eu subia para amamentá-lo e vê-lo um pouco. Amava o bebê com todas as minhas forças, meus pensamentos eram dirigidos só para ele e para o meu trabalho, no andar de baixo. Contrariando as expectativas, eu era uma boa mãe, e, quando me atrapalhava, Dara sempre estava ali para ajudar. Parei de tomar os remédios e não passei mal, estava curada, mas tinha muito a fazer e pouco tempo. Limpava mesas, servia drinks, explicava as bebidas do cardápio. Na segunda semana, estava esgotada, já tinha perdido todos os quilos ganhos na gravidez, estava até mais magra que antes. Percebi que não conseguiria mais fazer todos os turnos, porque estava ficando difícil cuidar de Josh ao mesmo tempo, então desisti do turno da manhã, que era o que dava menos gorjeta no final do dia. Passei a trabalhar do meio dia às cinco da manhã do outro dia, quando o bar fechava. Por esse motivo nenhuma garçonete parava ali, os horários eram exaustantes e provavelmente proibidos por lei, mas eu não me importava, tinha um lugar para meu filho e um teto sobre nossas cabeças, estava ótimo. Então, no final de cada mês, pagava o referente aos turnos matutinos, como uma espécie de aluguel, para o meu chefe. Eram nessas manhãs de folga que eu tentava descansar, mas nunca conseguia, porque Josh havia acabado de acordar. Fazia compras, de fraldas e tudo o mais, e via meu salário desaparecer antes do meio do mês. Não usava magia perto do bebê, porque Dara, que também era Bruxa, dizia que fazia mal.
Às vezes, de madrugada, eu atendia no estabelecimento adjacente ao bar, um lugar não muito digno, com um uniforme ainda pior do que o do bar. Não ia ali para dançar com os homens, levá-los para a cama e roubá-los como as outras garotas. Ia por causa das gorjetas maiores. Eu era só a garçonete, levando bebidas para eles e me esquivando de investidas masculinas. A regra era seja gentil da primeira vez, e eu era, então, caso ele não desista, você pode ser mal educada, e eu era, mas, se mesmo assim, o cliente ainda insistir, não lute mais e entregue-se. Afinal, o cliente que manda. Mas eu sempre era mais mal educada e tentava não deixar as coisas chegarem a um ponto crítico. Em um dia, quando não consegui mais me esquivar, um homem apareceu para me salvar. Ele veio de um canto escuro e não fiquei para agradecê-lo, simplesmente fugi dali. Ele me salvou mais duas vezes e só na última, fui falar com ele. Então descobri quem era: Scorpius. Ele passou a frequentar o bar assim que lhe contei que estava trabalhando ali. Nunca perguntou nada, nem me julgou. Fui eu quem lhe contei tudo o que passei, durante as longas madrugadas que ele passava no balcão do bar. Ficava ali, me observando trabalhar até o horário de fecharmos, às cinco. Não todos os dias, mas a maioria deles. Ele tornava tudo mais suportável, mesmo me fazendo lembrar de minha antiga vida, onde nós éramos bem amigos. Scorpius tentou me ajudar com algum dinheiro, mas recusei sempre. Mesmo assim ele dava boas gorjetas, e foi o que me ajudou a comprar mais coisas para o bebê. Se alguma de minhas antigas amigas me visse assim, nesse uniforme provocante - um vestido curto e com um belo decote, um avental por cima, sapatos de salto, uma tiara no cabelo solto e maquiagem, que eu sempre dava um jeito para que ficasse simples - que mostrava muito mais do que eu gostaria, nunca me reconheceria. Mas isso chamava clientes, dizia Dara. Ela mesmo já fora uma garçonete ali, mas agora passara da idade. Eles gostam de sangue novo, ela dizia. E assim passaram-se dois meses.
Depois do meu intervalo de quinze minutos, as onze horas da noite, que eu usava só para ver Josh dormindo, enfiar algo na boca, por insistência de Dara, e respirar um pouco, voltei ao bar e vi Scorpius no balcão. Nem perguntei o que queria, coloquei sua bebida favorita na sua frente. E ele passou três notas de cem dólares por cima do balcão. Fiquei muito surpresa e recusei prontamente, mesmo enquanto ele insistia, seu drink custava bem menos que isso. Deixei-o falando sozinho por um tempo bem longo. Horas depois, já era muito tarde, mas o bar continuava lotado, eu não parava de limpar mesas e levar bebidas, afinal era noite de sexta, e Scorpius continuava no balcão. Eu ignorava seus protestos para que aceitasse o dinheiro toda vez que vinha pegar alguma bebida. Ali, no painel de recados ao lado das garrafas, havia um bilhete avisando que na mesa 22 as bebidas eram por conta da casa, com um ps. dizendo para nunca deixar os copos vazios. A letra era do filho do meu chefe, que nos ajudava toda sexta a servir as mesas, quando saia de Hogwarts. Não me dava muito bem com ele, mas resolvi não ignorar o recado. Peguei três doses, após conferir a quantidade de pessoas na mesa 22 e coloquei-as em uma bandeja. Com meu sorriso no rosto, andei até a mesa, ignorando a dor nos pés que os saltos me causavam. Servi a garota e os outros dois, de forma automática, sem olhá-los nos olhos. Mas quando o mais velho falou, eu congelei. Conhecia aquela voz. Uma rápida olhada para o seu rosto me provou: era ele. O meu pai, também conhecido como Lord das Trevas. Subitamente, me atrapalhei com os copos e acabei derramando a bebida na camisa dele. Comecei a sussurrar uns "desculpa, senhor" e, no desespero, tentei limpá-lo com o pano que trazia preso ao avental.
Parei quando sua mão agarrou o meu pulso. Congelei novamente, torcendo para que meu cabelo escondesse meu rosto da garota que estava na outra ponta da mesa. Minha irmã. Eu estava perdida.

DRESSING - BAR - INGLATERRA
thanks juuub's from @ bg!  

*************************
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Stevie Oloked
Monitor-chefe da Corvinal
Monitor-chefe da Corvinal
avatar

Localização : Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts...
Trabalho : Estudar...
Mensagens : 122

MensagemAssunto: Re: Bar   Qui Fev 12, 2015 7:52 am

Don't Stop the Party
From TPO

Meu pai aparece. Ou melhor, o Lord das Trevas aparece. Ele não acredita que nós queremos ser Comensais, ou talvez acredite, mas pensa que mudaremos de ideia em pouco tempo. Termino minha bebida e fico pensando, porém antes que eu possa pensar em algo concreto e realmente bom, Hugo se antecipa e pede uma semana. É tempo suficiente.
Sinto algo tocar minha mão por baixo da mesa. Pego o objeto e trago para perto de mim, onde consigo ver, mas longe do alcance do meu pai. É o celular do Hugo, e está aberto nas notas, em uma específica, que ele diz que está louco para passar a noite comigo. Bem, quem não estaria?
Mas não sei se isso vai acontecer. Quer dizer, ele é gato e eu até que gostei desse novo Hugo Weasley. Por que não? Não é como se fosse significar algo mesmo.
Antes que eu posso digitar uma resposta, a garçonete se atrapalha e derrama a bebida na camisa do Lord das Trevas. Péssimo erro, ela vai pagar por isso. Levanto meu olhar para ver como é a pobre coitada, quando percebo que ela é muito familiar... E então eu a reconheço. Demorou um pouco por causa do uniforme e da situação, mas não tenho dúvidas de que é ela.
Alice Oloked, minha querida irmã... que não está mais grávida. Nem sabia que ela já tinha tido o bebê. Ou que ela trabalha aqui. Ou que ela tinha deixado o Profeta Diário. Esse último foi um tremendo erro, porque eu tenho certeza que eles pagam bem mais que esse bar.
Começo a rir, porque não consigo imaginar outra reação.
Você está hilária nesse uniforme. Vou dar lembranças suas para nossa mãe, não se preocupe. Se eu lembrar.
Tomo um gole da minha bebida, observando minha irmã mais velha me servir, e olho para nosso pai para ver a reação dele.


*************************
Don't Stop the Party

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Dimitri Belikov
Lord das Trevas
Lord das Trevas
avatar

Localização : Nova York | Central dos Comensais
Trabalho : Lord das Trevas
Mensagens : 124

MensagemAssunto: Re: Bar   Sex Fev 27, 2015 7:52 pm

Amar é Destruir


O Weasley faz uma pergunta, mas Dimitri escolhe não responder, só o encara, calmamente. Um momento depois, ele parece ter uma ideia e diz que cuidará disso. O Lord não esperava nada menos. Eles pedem uma semana; é bastante tempo, mas Belikov estava em bom humor.
Uma garçonete vem encher os copos já vazios, mas Dimitri não prestou atenção nele até que ela se atrapalhou e derramou bebida na camisa dele. No mesmo segundo, ele agarra o braço dela para fazê-la pagar por isso, até que vê o rosto da garçonete.
Sua filha mais velha, Alice Jesse Oloked. Dimitri toma mais um gole da sua bebida com o outro braço, antes de falar.
Virar garçonete nesse bar já é humilhação e punição suficiente. Pensei que sua mãe tinha te criado melhor do que isso, mas agora percebo que deveria ter te sequestrado naquela noite como eu pretendia. Assim não estaria aqui, humilhando-se, escondendo-se. Se você se matasse teria sido mais aceitável. Envolveria um ato de coragem.
O Lord das Trevas solta o braço da garçonete, levanta-se e então se dirige para os outros dois.
Uma semana.
Pega seu copo, praticamente cheio, e caminha até a rua, onde desaparata.

ENCERRADO




Thanks Nanda from TPO


*************************
Lord Dimitri Belikov

☠️ Lord das Trevas ☠️ 25 anos ☠️

credits @
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Victoire Delacour
Ministério da Magia
Ministério da Magia
avatar

Localização : Departamento de Mistérios - Chalé das Conchas
Trabalho : No Departamento de Mistérios
Mensagens : 158

MensagemAssunto: Re: Bar   Sab Set 12, 2015 1:55 pm

ENCERRADO
(à pedido da Administração!)

*************************


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Victoire Delacour
Ministério da Magia
Ministério da Magia
avatar

Localização : Departamento de Mistérios - Chalé das Conchas
Trabalho : No Departamento de Mistérios
Mensagens : 158

MensagemAssunto: Re: Bar   Sab Set 12, 2015 2:39 pm




"The past always show up..."


Quando entro no bar, no meio da semana, as três da manhã, os poucos ali presentes viram para me olhar. Depois dessa minha mudança de visual, estou quase acostumada com isso, a avaliação masculina antes do reconhecimento (ou não). Eles nunca chegam a olhar para as mãos, porque, se olhassem, veriam um anel ali. Sou muito bem casada, queridos. Os que me reconhecem como esposa do Ministro, desviam rapidamente o olhar. Respeito, eu acho, ou medo.
Haviam muitas mesas vagas, mas me dirigi para o balcão e sentei em um banco, exausta. Ted e eu tínhamos acabado de voltar de uma viagem pela Rússia, viagem de negócios, mas mais light do que as outras. Precisávamos fechar algumas parcerias com os russos, mas conseguimos tempo para nos divertir. Quando voltamos para a Inglaterra, esquecemos de considerar o fuso horário e estávamos mortos de fome. Problema, claro, porque não havia nada aberto no meio da madrugada. A não ser esse bar, que iria salvar nossas vidas. Enquanto Ted ia para casa, arrumar as coisas e preparar algo que ele chamava de ''surpresa por um ano de casados'', eu vim para cá comprar algo para comer e beber. Estava louca para saber que surpresa era essa, mas louca de fome também e, nesse momento, o estômago ganhava. Não tinha absolutamente nada em casa.
Continuávamos na loucura de trabalho, e agora brigávamos um pouco mais, mas acho que tudo isso é natural em um casamento. Ainda éramos perfeitos um para o outro e isso bastava. Um ano já, e passou muito rápido.
Moça? Eu gostaria de três hambúrgueres, quatro cervejas e uma diet coke. Para levar, por favor.
A atendente nem olhou para mim e notei que paralisou quando ouviu minha voz. As pessoas não costumam me reconhecer só pela voz, para elas a ''esposa do Ministro'' é muito mais um rosto bonito e um corpo legal do que uma voz. Fiquei surpresa, mas nem tanto, a fome não estava me deixando pensar muito. E ainda tinha toda a surpresa em casa...
Pouco tempo depois, a atendente volta com meus pedidos, mantendo sempre a cabeça baixa. Pago a ela e deixo uma gorjeta boa.
Obrigada, querida...
Simplesmente paro de falar quando ela levanta a cabeça. Alice Jessie Oloked está parada ali na minha frente e não consigo esconder minha surpresa. Claro que soube de toda a história dela, Bella fez questão de me manter informada, mas a última notícia que tive foi que ela tinha sumido, deixado o namorado e ido embora grávida. Nunca imaginei que ela pudesse estar trabalhando em um local como esse. Minha madrinha de casamento era inteligente, uma jornalista competente e não combinava com nada nesse local. As roupas que ela estava usando não faziam parte do seu estilo de antes, seu rosto e suas expressões não eram as mesmas de antes e a mulher na minha frente parecia esgotada. Percebi que ela estava ficando constrangida com minha avaliação indiscreta e, no mesmo momento, parei.
Meu Merlim, desculpe! Alice, o que você está fazendo aqui?! Não me diga que está trabalhando em um lugar como esse? E o bebê, onde está?
As perguntas saíram de uma vez só. Me arrependi delas no momento em que saíram da minha boca. Certamente ela tinha um motivo para estar aqui, mas não conseguia imaginar qual era. Uma tristeza me invadiu e voltei a sentar, Ted esperaria mais um pouco. Como a vida dela tinha mudado tanto assim?


Tagged: Alice Wearing: This!




*************************


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Alice Jessie Oloked
Adulto
Adulto
avatar

Trabalho : Indefinido
Mensagens : 134

MensagemAssunto: Re: Bar   Seg Set 14, 2015 12:09 pm

Lice::


Tentava apagar aquele dia da minha mente sempre que a porta do bar se abria. "Será que são eles de novo? Ou é minha mãe, porque Stevie finalmente contou para ela? E se for algum outro Bruxo que me reconhecer?" Era difícil ignorar todas aquelas imagens e eu repassava o que tinha acontecido na minha mente. Derramei a bebida, Stevie riu da minha cara, falou que iria contar para nossa mãe, o Lord das Trevas me humilhou em alto e bom som, apertou muito meu braço, falou algo sobre "uma semana" e então saiu. Stevie e seu acompanhante saíram logo em seguida. Só chorei aquela noite e Scorpius me apoiou. Estava sendo tudo tão horrível já sem ninguém me reconhecer...
Eles nunca mais voltaram e mais um mês se passou. Não fui mais reconhecida e continuei com os horários malucos. Agora já era uma garçonete experiente e já tinha feito até alguns amigos bêbados. Sobre Josh, ele continuava sendo cuidado a maior parte do tempo por Dara, mas ainda me reconhecia como sua mãe e estava lindo. Amava tanto ele, só suportava tudo isso por ele. Meu salário desapareceu de novo antes do fim do mês e Scorpius me ajudou muito. Ele viu Josh uma noite e disse que eu podia contar com ele para qualquer coisa. O Malfoy estava sendo muito mais querido do que se podia esperar.
Eu finalmente ia ter um dia de folga, meio da semana, ninguém aparece no bar, mas fui chamada para trabalhar quando um grupo de Bruxos apareceu para um happy hour inesperado pós-Ministério. Tentei ser o mais discreta possível, ouvi alguns comentários que me deixaram muito triste, e ninguém me notou. Eles foram embora cedo também e, como estava cuidando sozinha do bar naquela noite, achei que poderia fechar mais cedo. Perto das três da manhã, estava limpando algumas mesas quando a porta se abriu. Olhei automaticamente para a entrada e, mesmo não sendo quem eu temia, fiquei paralisada. Victoire Delacour. Fez sucesso com Jimmy e Henri (nossos clientes mais fiéis), mas, sendo Bruxos, reconheceram-na depois de um momento e tentaram desviar os olhos rápido. Ela sentou no balcão e, na hora de atendê-la, fiquei de costas anotando seu pedido. Fiz os hambúrgueres, peguei as cervejas e a diet coke, coloquei tudo em uma sacola e torci para que não prestasse atenção em mim, que pagasse e fosse embora. Mas essa não seria a Victoire, ela deu uma boa gorjeta, agradeceu e então me reconheceu.
Fiquei parada enquanto ela me analisava, sem nem disfarçar. Não podia culpá-la, ela nem esperava uma coisa dessas vindo de mim. Enrubesci e olhei para o chão antes dela perceber o que estava fazendo e se desculpar. As perguntas vieram de uma vez só, e cada uma machucava mais que a outra. Quando vim trabalhar aqui, estava decidida a não contar nada do que passei e estava passando para ninguém, mas quebrei essa promessa com Scorpius e, nessa noite, sabia que iria quebrá-la com Vic também. Contei tudo para ela, enquanto ia e voltava limpando mesas e servindo algumas poucas bebidas. Omiti algumas partes das quais não me orgulhava nem um pouco, mas, de maneira geral, contei sobre estar morando ali em cima, sobre Josh, sobre meus turnos. Não queria que ela sentisse pena de mim, mas sabia que era quase inevitável.
Quando terminei de contar tudo, já não havia mais ninguém no bar e ninguém na rua, decidi então fechar as portas, sabia que ninguém mais apareceria. Ela me ouviu, paciente, enquanto me via limpar o chão.
... então estou sim trabalhando aqui. Não é o melhor lugar do mundo ou o mais decente, mas consigo dormir em algum lugar e tenho o necessário para meu filho. Não penso mais em mim, Vic, mas não tenho tempo para isso. Ninguém sabe que estou aqui, ninguém me reconhece e vou tocando. Noite após noite...

DRESSING - BAR - INGLATERRA
thanks juuub's from @ bg!  

*************************
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Victoire Delacour
Ministério da Magia
Ministério da Magia
avatar

Localização : Departamento de Mistérios - Chalé das Conchas
Trabalho : No Departamento de Mistérios
Mensagens : 158

MensagemAssunto: Re: Bar   Qui Dez 17, 2015 12:22 pm




"The past always shows up..."


Eu acabo comendo um dos hambúrgueres ali mesmo, enquanto ela me conta toda a história e se prepara para fechar o bar. Tenho vontade de chorar ouvindo tudo o que ela fala, nada disso é justo. Não pensamos em ter um filho, Teddy e eu, mas, caso aconteça vamos tentar encarar com naturalidade, dar muito amor à criança e continuar vivendo normalmente. Sei que Alice é mais nova que nós dois, mas acho que faltou algum apoio por parte da família, ou quem sabe, faltou algum senso de direção na mente dela, talvez um pouco mais de insistência por parte de Luke... Se as coisas tivessem sido diferentes...
Lice, você simplesmente não pode continuar aqui. Até quando pretende viver essa farsa, amiga? Você não está feliz, está desperdiçando seu talento jornalístico, escondendo o fato de ser Bruxa e, o que é pior, não está vendo seu filho crescer. Desculpe, mas é a verdade.
Ela fica triste com minhas colocações e parece não muito disposta a abandonar essa ''nova vida'' que construiu para si. Decido ajudá-la. Passo-lhe meu telefone e o endereço, digo que qualquer coisa ela pode (e deve) me ligar, seja para ajuda financeira ou de qualquer outro tipo. Gosto de crianças, posso cuidar de Josh alguns dias. Ela me conta sobre Scorpius e sobre como ele está vendo um emprego melhor para ela e percebo que ele também está conseguindo uma vaga no coração dela. Será que Alice Jessie Oloked conseguiria esquecer Luke? Mesmo do jeito que fala dele? Na hora em que contou a história... Parecia ainda tão apaixonada, aposto que, caso conseguisse falar com ele, ia pelo menos tirar um peso das costas.
Ela não me contou nada sobre Josh ser filho dele ou não, mas algo me dizia que era, por isso pensei em ir atrás do editor-chefe do Profeta. Mas não hoje. Despeço-me dela e volto para a casa, sem clima para surpresa nenhuma.
Como sempre, Teddy consegue impressionar e ser perfeito, mas minha cabeça está noite estava totalmente em outro lugar. Se ele percebeu, não disse nada.

ENCERRADO


Tagged: Alice Wearing: This!




*************************


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Bar   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Bar
Voltar ao Topo 
Página 2 de 2Ir à página : Anterior  1, 2

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Aresto Momentum :: Mundo Trouxa :: Inglaterra-
Ir para: